Libra: conheça a criptomoeda do Facebook

Erik Navarro Postado em 24/06/2019

Em uma época cada vez mais conectada, o facebook, com outros associados, divulgou o White paper de sua criptomoeda:
a Libra. O objetivo é que seja uma moeda global, com uma infraestrutura financeira que capacite bilhões de pessoas a utilizá-la.

Com tecnologia blockchain e descentralizada, a Libra possuirá baixa volatilidade e será completamente digital. Assim, alcançará camadas da população que não possuem acesso a instituições financeiras tradicionais, ou vivem em países com inflação muito alta.

É sabido que as pessoas com menos dinheiro pagam taxas mais altas em bancos, ou sequer são aceitas como clientes. Assim, com a Libra, um maior número de pessoas terá acesso aos serviços financeiros e ao capital barato, em uma verdadeira “inclusão financeira”.

Destinando-se a atingir um público global, o software que implementa a moeda é de código aberto, projetado para que qualquer pessoa possa desenvolver sobre ele. Um ecossistema aberto e interoperável de serviços financeiros que possibilitará pessoas e empresas a manter e transferir libras para uso diário. Com a proliferação de smartphones e dados sem fio, as pessoas estão a cada dia mais online, e consequentemente capazes de utilizar a libra.

A libra será administrada pela “Associação libra”, com sede em Genebra, e tem como objetivo coordenar e fornecer um quadro de governança para a rede, e reservar e liberar o subsídio de impacto social em apoio à inclusão financeira.

A associação libra possuirá como membros empresas geograficamente distribuídas e diversificadas, organizações sem fins lucrativos e multilaterais, além de instituições acadêmicas.

Importantes empresas fazem parte do grupo inicial que trabalhará na finalização da carta da associação, e serão “membros fundadores” após a sua conclusão:

  • Pagamentos
    Mastercard, PayPal, PayU (braço de fintech de Naspers), Stripe, Visa
  • Tecnologia e Marketplace
    Booking Holdings, eBay, Facebook/calibra, Farfetch, Lyft, MercadoPago, Spotify AB, Uber Technologies, Inc.
  • Telecomunicações
    iLiad, Vodafone Group
  • Blockchain
    Anchorage, Bison Trails, Coinbase, Inc., Xapo Holdings Limited
  • Venture capital
    Andreessen Horowitz, iniciativas inovadoras, Ribbit capital, Thrive capital, Union Square Ventures
  • Organizações sem fins lucrativos e multilaterais e instituições acadêmicas
    Laboratório de destruição criativa, Kiva, Corpo de Misericórdia, Banco Mundial de Mulheres.

Para garantir a separação entre dados sociais e financeiros, o facebook criou a Calibra, subsidiária regulamentada da libra. Espera-se que até o primeiro semestre de 2020 a associação possua aproximadamente 100 membros.

A fim de armazenar as transações com segurança, os dados no Blockchain da libra são protegidos por “árvores de Merkle”, uma estrutura de dados que permite que sejam detectadas todas as mudanças aos dados existentes. Ao contrário dos blockchains anteriores, que visualizam o blockchain como uma coleção de blocos de transações, o Libra Blockchain é uma estrutura de dados única que registra o histórico de transações e Estados ao longo do tempo. Essa implementação simplifica o trabalho de aplicativos que acessam o blockchain, permitindo que eles leiam todos os dados de qualquer ponto no tempo e verifiquem a integridade desses dados usando uma estrutura unificada.

Em resumo, o objetivo da Libra é , em um prazo de 05 anos, ser uma moeda com estabilidade, construída em um blockchain de código aberto seguro e estável, apoiado por uma reserva de ativos reais, e governado por uma associação independente, atingindo o maior número de pessoas possível e garantindo mais acesso a serviços financeiros melhores e mais baratos.

Se a libra vingar, o cenário monetário e os serviços financeiros nunca mais serão os mesmos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Torne-se protagonista. Seja um New Lawyer
Fique por dentro de como o Direito está mudando no Brasil e no Mundo.
Receba nossa Newsletter.