Lawtech e legaltech: o que são e como estão revolucionando a advocacia

Nenhum setor é rústico o bastante para deixar de ser impactado pelas inovações tecnológicas, até mesmo por elas serem desejáveis e, de qualquer forma, inevitáveis. A advocacia, que é uma das profissões mais antigas, importantes e formais, também está sendo revolucionada por soluções tecnológicas, o que é evidenciado pela criação de lawtech e legaltech.

Hoje, muitas comodidades estão ao alcance das mãos dos profissionais por meio de smartphones, que são utilizados em tarefas como facilitar a locomoção e até mesmo para realizar investimentos em bancos digitais, chamados de fintechs. Tecnologias são criadas e mudam completamente a forma como profissões são exercidas, e isso tende a ser bastante positivo.

Continue a sua leitura e entenda melhor o que são lawtech e legaltech e a forma como tais iniciativas estão transformando a advocacia. Confira!

A tecnologia e os novos mercados

Os avanços tecnológicos provocam a justa preocupação com a redução do número de postos de trabalho, mas frente à sua inevitabilidade, quem está no mercado deve buscar formas de não tornar-se um profissional obsoleto. Quem tem esse diferencial, que envolve atualização constante e o domínio de habilidades que extrapolam a formação convencional, tem um perfil desejável inclusive pelas startups que atuam no mercado jurídico.

Na agropecuária, que é a maior responsável pelos alimentos que temos em nossas mesas, as agrotechs desenvolvem inovações que ajudam em toda a cadeia produtiva, do cultivo ao consumo. Esse setor viu grandes mudanças em pouco tempo, que aumentam a produtividade e a qualidade do produto que chega aos mercados.

Outro benefício promovido pela tecnologia é reduzir significativamente os esforços físicos de trabalhadores rurais em diversos tipos de cultivos e manejos, tendo sido necessária a adaptação dos trabalhadores às novas máquinas e equipamentos.

Se é a educação quem promove as grandes mudanças no mundo, é necessário mencionar que estão sendo criadas diversas edtechs, que utilizam a tecnologia para a difusão do conhecimento. Tais empresas merecem a atenção do profissional de qualquer área, pois por meio de diversas plataformas é possível obter novos conhecimentos e desenvolver habilidades com professores de todos os lugares do mundo.

Um professor em frente aos seus alunos é capaz de promover grandes transformações sociais, e quando isso é feito em frente às câmeras, o impacto é incalculável.

Isso não reduz a importância do ensino presencial, que é o responsável por introduzir os indivíduos no convívio social ainda na infância, mas permite que pessoas em todos os cantos tenham acesso ao conhecimento. É uma ferramenta importante para que mais indivíduos tenham acesso ao mercado de trabalho e a uma renda mais elevada.

A relação entre Estado e sociedade também é beneficiada pelos avanços tecnológicos, e isso serve tanto para facilitar o controle dos atos governamentais por parte dos cidadãos quanto para obtenção de acesso de forma menos burocrática a serviços públicos. O setor regulatório também é um dos alvos das pesquisas para criação de novas soluções para a área, por meio das regtechs.

O importante é que o profissional da área jurídica não tema sua vulnerabilidade diante da inclusão da tecnologia em sua rotina, mas esteja preparado para usá-la ao seu favor.

Semelhanças e distinções entre lawtech e legaltech

A principal semelhança é a aplicação da tecnologia para a criação de soluções e inovações jurídicas. A profusão de empresas que entram nesse mercado se deve à nova visão que o profissional deve ter da advocacia, que embora não seja uma profissão que possa ser mercantilizada, pode e deve ser vista como um negócio quanto à sua gestão, produtividade, resultados e crescimento.

A tecnologia auxilia a gestão de empresas de diversos setores, e a contribuição dada ao direito é positiva e surge de uma demanda real dos profissionais da área. Esse papel cabe principalmente às legaltechs, que são entendidas como empresas destinadas a facilitar a rotina dos profissionais do direito, o público-alvo é quem faz parte desse mercado.

Redução de custos operacionais, aumento da produtividade e a organização de atividades tornam o dia a dia do advogado mais aproveitável e ajudam nos resultados do escritório. A aplicação da tecnologia para a realização de pesquisas jurídicas e criação de meios que facilitam o acesso à jurisdição permitem que se faça justiça de forma mais célere e com soluções adequadas.

Por sua vez, lawtechs são empresas que, por meio da tecnologia, ajudam os potenciais usuários de serviços jurídicos a encontrar soluções para suas demandas. Tais distinções são usuais principalmente no exterior, pois no Brasil é comum que ambos os termos sejam utilizados em relação a todas as empresas que atuam no mercado jurídico, alternadamente.

As vantagens para a advocacia

Com o dever de publicidade dos próprios atos, que é a regra na Administração Púbica, a tecnologia atua de forma a garantir a transparência de diversos tipos de dados. Também cria soluções que permitem monitorá-los para que não se perca nenhuma informação relevante para o escritório, ou sobre seus colaboradores e clientes. Nesse caso, o monitoramento pode incidir sobre as publicações em diários oficiais, por exemplo.

Analisar individualmente cada publicação é inviável, mas é possível criar alertas sobre palavras-chaves. Dessa forma, as expressões relevantes serão compiladas e verificadas de maneira fácil e rápida.

A automação e gestão de documentos é outra vantagem significativa, pois implica em trabalhos repetitivos e burocráticos, que quando feitos de forma integrada por meio da tecnologia permite que o profissional se ocupe de questões mais relevantes para a advocacia. O controle de prazos e processos também são possíveis por meio de softwares jurídicos.

Solucionar conflitos de interesses também é uma das vantagens da tecnologia ramo do direito, pois possibilita que a mediação, conciliação e negociação sejam realizadas online, dispensando a ação judicial em caso de acordo entre as partes. Isso ajuda a desafogar o judiciário, permite ganhos mais rápidos para o profissional e a solução dos problemas do cliente de forma menos onerosa.

Ter resistência aos avanços tecnológicos, que promovem justamente soluções para todas as demandas da sociedade é algo absolutamente ineficaz. Se a tecnologia permite grandes mudanças, esse também deve ser um atributo de quem está no mercado para que possa se adaptar sem maiores problemas.

Agora que você sabe mais sobre a revolução promovida por meio de lawtech e legaltech, assine a nossa newsletter! Mantenha-se informado sobre a advocacia do futuro!